pasmalu

blog dedicado à actualidade guineense e da sub-região

O Abril de Kumba e de Nabian

A morte de Kumba Yalá vem colocar questões interessantes sobre o futuro e sobre o destino político do nosso País. Envolto em polémica em vida, até na morte continuam as contradições. Morreu de doença ou foi envenenado? Embora esta última hipótese se comece a levantar em Bissau por certos sectores, não devemos esquecer que estava gravemente doente e que ele próprio tinha conhecimento do seu fim próximo.

O candidato Paulo Gomes, que conta com o apoio do Banco Mundial e não da Nigéria (ao contrário do que sectores kumbistas do PRS quiseram fazer crer), tem vindo aumentar a sua popularidade, sendo o candidato dos jovens e de outros partidos, o que fazia perigar as oportunidades do candidato de Kumba Yalá. Tanto mais que Paulo Gomes tem contado também com o apoio crescente dos partidários de Domingos Simões Pereira…

O tabuleiro de Nabian, é o tabuleiro preferido dos nigerianos.

Este, com Kumba vivo, tinha um apoio considerável, embora não necessariamente decisivo, devido à divisão do eleitorado balanta. Com Kumba morto, Nabian perde essa base de sustentação, a menos que se crie o mito de que Kumba foi envenenado… Aí, aumentam as probabilidades de um apoio único dos balantas.

As declarações do médico de Kumba de que o funeral só se realizará após as eleições, após a vitória de Nuno Nabian são esclarecedoras… Há tempo para tentar criar o mito de que Kumba foi assassinado… uma notícia a surgir, convenientemente em caso de dificuldades de Nabian, antes da votação.

Mas há um dado a ter em consideração, no meio das contradições que envolvem a morte de Kumba Yalá, o seu médico e sobrinho, descaiu-se ao afirmar que o próprio Kumba lhe disse: “eu vou ser sepultado só depois da vitória de Nuno Gomes Nabian”… Uma pergunta nos surge aqui: se Kumba estava consciente, a probabilidade de ter morrido de doença é muito maior, do que a de ter sido envenado. A hipótese envenenamento só interessa mesmo aos filhos “órfãos” do kumbismo e de Kumba. Saudades, não deixa!

Abril: mês fatídico

Kumba já se foi! Abril confirma-se como mês fatal para golpistas e transitórios. Tiros mil? Mortes mil? Prisões mil?
Bubo afastado, Kumba, morto… e Indjai? Como fica?

Mané “ilegítimo”

Guiné-Bissau: STJ declara Abudu Mane ilegítimo para impugnar candidatura de JOMAV

Bissau – A plenária do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) declarou Abudu Mane, o Procurador-geral da República da Guiné-Bissau, como uma figura «ilegítima» para impugnar a proposta de candidatura do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) às eleições Presidenciais de Abril.

«O impugnante, ao fundamentar a sua impugnação com o processo-crime contra o candidato, que corre nos tribunais, em que o delegado titular do processo no exercício legal da sua competência constituiu suspeito, significa que ele próprio reconhece competência processual, neste caso ao referido delegado do Ministério Público, tornando-se assim o Procurador-geral da República ilegítimo para impugnar a proposta de candidatura às Presidenciais, apresentada pelo PAIGC», lê-se no acordo do STJ.

Segundo o Acórdão da instituição judiciária guineense, datado de 12 de Março, relativamente ao processo de impugnação movido a 6 de Março pelo Procurador-geral da República, Abudu Mane, o colectivo de juízes conselheiros do STJ decidiu recusar.

«Recusa-se provimento à pretensão do aqui impugnante, declarando-se o candidato pelo PAIGC às Presidenciais de 13 de Abril, José Mário Vaz, elegível nos termos da Lei Eleitoral», lê-se no referido acordo que a PNN consultou.

O documento assinado por sete juízes conselheiros, incluindo o Presidente do STJ, Paulo Sanha, justifica a recusa das pretensões de Abudu Mane com a presunção de inocência, que em nenhum momento deve ser recorrida para inocentar o suspeito, mas sim para lhe garantir a dignidade humana que lhe é reconhecida pela Constituição da República no seu estatuto de suspeito, para responder em juízo e ter a uma «justice equitable».

Por outro lado, os conselheiros sublinharam que JOMAV é apenas um suspeito no processo que o Ministério Público invoca, que deu entrada no STJ.

«Sempre se dirá que, mesmo que por hipótese fosse o delegado titular do processo de impugnação à candidatura, a mesma não seria procedente, porquanto Mário Vaz é apenas suspeito no processo em causa e, por isso, o seu estatuto processual não se enquadra nas alíneas b) e c) do artigo 102.º da Lei número 3/98 de 23 de Abril, bem como em quaisquer outras disposições referentes à capacidade eleitoral passiva», refere o acordo do Supremo.

Além deste aspecto jurídico, o grupo foi mais além informando a Abudu Mane que não apresentou certidão condenatória transitada em julgada que prove a inelegibilidade do candidato Mário Vaz as eleições de 13 de Abril.

A terminar, o STJ lembrou ao Ministério Público que a Lei Eleitoral determina que nenhum candidato pode ser sujeito a prisão preventiva, salvo em caso de flagrante delito por crimes puníveis com pena de prisão cujo limite máximo seja superior a três anos.
(c) PNN Portuguese News Network

Fonte: http://www.jornaldigital.com/noticias.php?noticia=40795

Kumba Yalá na pelelé di gatu (II)

A prisão de Kumba Yalá, ao que parece, ocorrida já há dias, coloca questões relevantes no processo político-social no nosso País.

Conhecida a proximidade entre Kumba e Indjai, tal detenção tem por um lado a intenção de evitar surpresas durante o período eleitoral,ou parar algo já em curso, bem como enviar um recado ao general Indjai de que não será tolerada qualquer aventura…e não só.

A CEDEAO vai ganhando pontos e o Indjai ficando para o fim. Aliás, só lhe restará o seu fim?

Nabian detido, mas libertado

A situação permanece confusa quanto ao paradeiro de Kumba Yalá. A Nigéria é um dos destinos falados. Fala-se também que tal como Kumba Yalá foi detido, mas posteriormente libertado, o seu candidato presidencial, Nuno Gomes Nabian. Haverá novas detenções? António Indjai está na calha?

Kumba preso e “exportado”?

A nossa terra não deixa de surpreender pelos desenvolvimentos da situação sócio-politica. Há muito que temos vindo a denunciar as contradições que indiciam o fim deste clima de fantochada que, infelizmente, tanto tem prejudicado o País. Agora, mais uma informação, que a confirmar-se, não deixará de fazer mossa. Consta que Kumba Yalá terá sido preso e enviado para fora da Guiné!. Para onde? Aguardemos!

Música contra o tráfico

Como a música contribui para a luta contra o narcotráfico. Um excelente trabalho sobre o rappers guineenses, em francês e inglês.

Em francês: http://observers.france24.com/fr/content/20140219-flots-rap-contre-fleau-trafic-drogue-guinee-bissau-sensibiliser-jeunes

Em inglês: http://observers.france24.com/content/20140224-rap-drug-trafficking-guinea-bissau

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 80 outros seguidores