Guiné-Bissau: Chefias militares recusam votos antecipados dos paramilitares

by pasmalu

Bissau – As Chefias militares da Guiné-Bissau recusaram os votos antecipados dos militares e paramilitares, que deviam ter lugar esta quinta-feira, 10 de Abril, no âmbito das eleições Gerais de 13 de Abril.

A informação foi avançada à PNN por uma fonte do Comando Conjunto para o Asseguramento, horas depois de este ter indicado os seus elementos destacados para manter a ordem e segurança neste processo.

«Recebemos agora um telefonema onde tudo ficou suspenso, já não vai haver votos antecipados tal como estava previsto», revelou a fonte.

Não se conhece a razão deste impedimento, contudo, fonte da PNN disse tratar-se supostamente de fuga de informação sobre em que candidato as forças de defesa e segurança iriam votar.

A lei eleitoral guineense prevê esta situação de votos antecipados para as pessoas em missões de serviço no estrangeiro, assim como para as forças de defesa e segurança por forma a facilitar-lhes a mobilidade para garantir a segurança no dia da votação.

De referir que 1.900 efectivos, entre os elementos da Polícia de Ordem Pública, Guarda Nacional e Forças Armadas, deviam votar antecipadamente a 10 de Abril para as eleições Gerais que têm lugar na Guiné-Bissau este Domingo, 13 de Abril.

Fonte: http://www.bissaudigital.com/noticias.php?noticia=2000333435