Militares à solta

by pasmalu

O governo está na bancarrota, sem dinheiro para nada. Não há luz nem água na cidade de Bissau. Não há dinheiro para pagar os salários de Setembro. Não há dinheiro para nada.

O governo assalta todos os locais onde é suposto recolher receitas. Esvazia os cofres e parte para o local seguinte. O dinheiro arrecadado é para ser esbanjado entre os putos mafiosos do governo. O ministro das Finanças é uma figura de retórica. Não existe! O Nando Dódóte é quem manda e distribui os trocos que vão chegando.

Andam doidos a ver se algum doador incauto se aventura a contribuir para as eleições (o que é isso?…), para satisfazer os seus apetites insaciáveis. Contam com o apoio do “ingénuo” Ramos Horta que passa a vida a passear pelo estrangeiro e a elogiar as boas intenções destes golpistas, que todos sabem serem incompetentes e terem um pavor que as eleições lhes façam perder as mordomias sufragadas pelo golpe de estado de Indjai.

O pior foram as instruções dadas pelas chefias militares à soldadesca. Na impossibilidade de lhes pagar, incentivam-nos a assaltar pessoas, empresários, estrangeiros, para os roubar. E em caso de dúvida, matá-los.

Bissau e o interior do país estão a viver momentos de pavor.

Eles chegam pela calada da noite, sovam e matam as pessoas visadas e partem com o produto do assalto. Sejam eles chineses, libaneses e mesmo guineenses (a quem privilegiam para o roubo de gado).

Têm uma garantia dada pelo procurador-geral da República: em nome da legalidade, têm total impunidade.