Lei Militar

by pasmalu

O Golpe de Estado de Abril de 2012 continua com desenvolvimentos caricatos, em busca de uma “aparente” justificação que o legitime aos olhos da população e da comunidade internacional.

Agora é a cena do “julgamento” de Pansau, encenada e montada pela dupla António Indjai- Dahaba Na Walna, que embora se detestem, são obrigados, por agora, a caminhar juntos.

Torna-se evidente que a primeira fase é a de procurar dar credibilidade à montagem e ao Tribunal.

Só que parece que o Pansau está a ser “julgado” por ter “falhado” o atentado à Ordem Constitucional. Os putchistas que ganharam não são julgados. Porquê? O Tribunal Militar desconhece isso?

Ao Pansau foi encomendada a acusação de todos os inimigos do poder militar: Cadogo, possíveis novos líderes do PAIGC e militares que não alinham com os “Dois Barrigudos”.

Em breve as novas sessões do Tribunal vão deslizar neste sentido e nunca no do assassinato do Nino, ordenado por Indjai, como o próprio Pansau já afirmou por várias vezes.

É por isso que Indjai diz a quem quer ouvir: “é na kunsi ké ki lei militar, gós-gós”.

Nota: a ausência de post nos últimos tempos, não significa que estejamos inactivos, mas que só informações com alguma relevância nos fazem publicar.