Daba Na Walna ataca forte para ser o próximo CEMFA

by pasmalu

Daba avança decididamente para ser o próximo chefe do EMFA, depois de ter cometido o erro de, logo após o golpe de Abril, ter mostrado “faimadêsa” em lá chegar rapidamente e ter sido posto com dono por Antonio Indjai que lhe cortou as pernas.

Regressou agora com a lição muito mais bem estudada e contando com o apoio da organização colonizadora que tutela a Guiné-Bissau: a CEDEAO. Tem um antecedente poderosíssimo, pois foi conselheiro dos chefes de Estado Maior anteriores e a todos eles traiu e apunhalou pelas costas. Este facto faz dele um líder militar natural e temido.

Desenvolveu outro atributo até agora completamente desprezado pelos militares primários: envolver intelectuais da praça que se vendem por “dús xilin”. Um deles é um ex-ministro da Educação que ficou conhecido como Lucky Look, o pistoleiro mais rápido que a sua própria sombra, ao disparar tiros nos diversos liceus em greve, tentando assim desmobilizar os estudantes e professores. Actualmente virou comentador político ao serviço do dono, neste caso de Daba, com quem passa horas a preparar as suas intervenções. Como ele sempre diz, é obrigado a repetir qualquer afirmação que faça porque o povo é mentecapto e só à segunda vez é que apanha pé das suas ridiculas explicações.

Outro que está de serviço é o PGR, Abú Mané, reconhecido traficante de licenças de pesca e que lá foi colocado para limpar a folha de assassinatos de Indjai. Foi dele que partiu a ideia de agredir o ex-PGR em Cacheu, para mostrar serviço e intimidá-lo a estar calado sobre o assassinato de Nino Vieira, dossier que ele conhece muito bem. Outro dos atributos deste PGR é o da corrida de velocidade, como bem testemunhou no Centro Comercial Babilónia, quando um grande grupo de guineenses o confrontou com o seu passado de ladrão e o presente de polícia e teve de fugir a alta velocidade para evitar levar o devido correctivo.

Daba pretende assim agradar a Indjai e assegurar a sua confiança, apesar de pelas costas afirmar ser ele “um burro e ignorante que tem de ser afastado rapidamente se quisermos ser aceites pela comunidade internacional”.

Nota: alguns contratempos impediram-nos de colocar esta informação mais cedo. Pelo facto as nossas desculpas. Ficam também aqui votos de bom 2013, numa Guiné-Bissau verdadeiramente livre, nomeademente de tratantes como os que ocupam ilegalmente o Poder.