Perseguições

by pasmalu

Como já se esperava, abriu a época das perseguições políticas do esquadrão da morte de Indjai-Kumba, com base numa lista elaborada pelo PRS.

Da lista fazem parte, políticos a abater, resistentes e contestatários ao regime ditatorial CEDEAO-KUMBA-INDJAI, amigos e familiares de Cadôgo e Zamora, pessoas não aderentes ao Golpe e ainda… pessoas que nada têm a ver com a política mas sujeitas a vinganças antigas de carácter pessoal.

Aqueles que não conseguiram refugiar-se em embaixadas, sofrem uma perseguição, que pode durar 2 a 3 dias, para o esquadrão se certificar dos seus hábitos e rotinas diárias. É então decidida a operação em que os militares kumbistas se deslocam de magrugada a casa do visado, o qual é violenta e selvaticamente agredido, raptado e abandonado na estrada ou então morto.

Perante o olhar complacente e aprovador da CEDEAO (então não foi para isso que eles cá vieram?), por estes dias voltou a intensificar-se a caça ao homem.

O lider do Esquadrão, sobrinho do Indjai, atua com a cara descoberta, dizendo à vitima: “tudu manêra n’sibi kuma n’na murri, má n’na kastiga bós un son un son”.

Anúncios