pasmalu

blog dedicado à actualidade guineense e da sub-região

PCD denuncia manipulação em Bafatá e Contuboel

O PCD considera que lhe roubaram dois deputados (Bafatá e Contuboel). As actas assinadas nas tabancas não coincidem com resultados oficiais divulgados, isto de acordo com Nado Mandinga. Um caso que denuncia a manipulação de resultados.

Há quem comece já a questionar o resultado de Paulo Gomes, muito inferior às expectativas. A ter em conta que não foram publicamente divulgados, na conferência de imprensa, pelo presidente da CNE, os votos brancos, nulos e abstenção. Só foram divulgados os votos nos partidos e candidatos presidenciais.

Eleições

deputados
Paigc – 55
Prs  – 41
Pusd
Um – 1
Pcd – 2
Prd – 2
upg
prid
pt
mp
prn
ps
psd
fds
rgb

Presidenciais %

Paulo 60.783 – 9
Jomave 252.269 – 40,98
Nabian 154.784 – 25,14
abel 43.293 – 7,3
iaia 28.068 – 4,56
sory 19.209  – 3,12
afonso té 18.3.. – 2,99
helder 8.516 – 1,38
quadé 8.432 1,37
arregado 7.105 – 1,15
nancassa 6.815  – 1,11
malu 5,946 – 0,97
cirilo 2.036 – 0,33

Total votantes
613.654 100

E agora?

O povo votou. Ainda não há dados oficiais, mas a termos em conta as informações que vão sendo conhecidas tudo aponta para que o vencedor (da primeira volta), nas presidenciais, seja José Mário Vaz (Jomav). A incógnita quanto ao segundo colocado, Paulo Gomes ou Nuno Nabian, mantém-se por enquanto.

Algumas conclusões podem desde já extrair-se:

1) O povo mantém a tendência de há 2 anos, o que constitui uma clara derrota dos golpistas e transitórios

2) Carlos Gomes Junior, que indicou o voto em Jomav, sobressai como grande vencedor.

Agora, como vai reagir António Indjai aos resultados? E que implicações tem o ressurgimento do Grande Morto, ainda que seja para um funeral que já tarda há muito?

Aguardem-se os desenvolvimentos…

O pomba Indjai

O general António Indjai, que liderou o golpe de estado que, como todos se recordam, há dois anos interrompeu as eleições presidenciais na Guiné-Bissau, hoje lançou pombas brancas depois de votar no bairro de Plubá onde reside, aqui em Bissau.

“Paz, paz”, foram as únicas palavras do dito general que no dia das eleições gerais presidenciais e legislativas) trocou a farda pelo branco imaculado de uma túnica e chapéu muçulmano.

Em breve saberemos se assim é…

A ver se com pombas engana os tolos... mas os guineenses não se deixarão enganar.

A ver se com pombas engana os tolos… mas os guineenses não se deixarão enganar.

 

International Crisis Group: a situação na Guiné-Bissau

O International Crisis Group dedica o Briefing nº 98, à situação guineense. No documento, refere-se que a pressão internacional foi determinante para a realização das eleições, e que os responsáveis políticos e militares não tiveram outra hipótese senão aceitar ir a eleições para evitar a falência do Estado e sair do isolamento internacional persistente.

Leia o documento em:

http://www.crisisgroup.org/en/regions/africa/west-africa/guinea-bissau/b098-guinea-bissau-elections-but-then-what.aspx?alt_lang=fr

Guiné-Bissau: Chefias militares recusam votos antecipados dos paramilitares

Bissau – As Chefias militares da Guiné-Bissau recusaram os votos antecipados dos militares e paramilitares, que deviam ter lugar esta quinta-feira, 10 de Abril, no âmbito das eleições Gerais de 13 de Abril.

A informação foi avançada à PNN por uma fonte do Comando Conjunto para o Asseguramento, horas depois de este ter indicado os seus elementos destacados para manter a ordem e segurança neste processo.

«Recebemos agora um telefonema onde tudo ficou suspenso, já não vai haver votos antecipados tal como estava previsto», revelou a fonte.

Não se conhece a razão deste impedimento, contudo, fonte da PNN disse tratar-se supostamente de fuga de informação sobre em que candidato as forças de defesa e segurança iriam votar.

A lei eleitoral guineense prevê esta situação de votos antecipados para as pessoas em missões de serviço no estrangeiro, assim como para as forças de defesa e segurança por forma a facilitar-lhes a mobilidade para garantir a segurança no dia da votação.

De referir que 1.900 efectivos, entre os elementos da Polícia de Ordem Pública, Guarda Nacional e Forças Armadas, deviam votar antecipadamente a 10 de Abril para as eleições Gerais que têm lugar na Guiné-Bissau este Domingo, 13 de Abril.

Fonte: http://www.bissaudigital.com/noticias.php?noticia=2000333435

O sobrinho médico diz que “prognóstico” só no fim do jogo

Acto 1 – Morre o político do barrete encarnado (pubis na tchóra ôoooooooo)

Acto 2 – A família avança que ele morreu de ataque cardíaco (pubis na tchóra ôooooooooo)

Acto 3 – Horas depois sobrinho médico garante que ele está mesmo morto…só não sabe de quê…só depois das eleições… (pubis na tchóra ôoooooooo)

Acto 4 – (A Guiné-Bissau vota). Nabian perde e o falecido aguarda funeral (pubis na tchóra ôoooooo)

Acto 5 – (sobrinho médico reentra em cena) Kumba Yalá foi assassinado… (pubis sei na fala: “mbé ess i kal toroça kê sta nel?!”)

Acto 6 – Djumbulmani na baliza di báss…Padjigada geral!

Acto 7 – Ramos Horta kapli na baliza di riba! (pubis kuma: “Deus obrigada”!)

Acto 8 – O governo de transição sempre prestável coloca-se à disposição.

Acto 9 – A madeira acaba na Guiné-Bissau e chineses exploram morcegos e jagudis

FIM

NOTA: (Traduções)

(pubis na tchóra ôoooooooo) – o povo chora

(pubis sei na fala: “mbé ess i kal toroça kê sta nel?!”) – o povo passa-se e diz “mas que raio de brincadeira é esta?!)

Djumbulmani na baliza di báss…Padjigada geral! – Confusão na baliza de baixo… debandada geral

Ramos Horta kapli na baliza di riba! (pubis kuma: “Deus obrigada”!)

Ramos Horta foge pela baliza de cima! (o povo diz: Deus obrigado)

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 80 outros seguidores